Eu tenho 34 anos, sou casada tenho um filho de 12 anos,  e meu marido trabalha em manutenção industrial, está frequentemente viajando, como eu não trabalho fico a em casa ou na casa da minha mãe que me faz companhia sempre, tenho 30 anos e um  corpo muito bonito,  faço o possível para me cuidar. Sou  muito bem casada, mas devido a situação me sentindo sozinha  tive meus desvios de conduta, porque eu sendo uma mulher ativa sexualmente e com meu marido viajando e as vezes ficando até 20 dias fora acabei cedendo aos encantos da carne, mas sempre foi só sexo sem envolvimento emocional.


A historia que vou narrar   aconteceu três anos atrás, meu sogro tinha 52 anos era um homem bonito grisalho e bem saudável, ele  tinha ficado  viúvo não fazia 3 anos não quis casar-se novamente, ele dizia que preferia curtir sem ninguém pra atrapalhar, ele tinha uma moto Harley vivia viajando pra lá e pra cá, um dia ele sofreu um acidente quebrou  a clavícula, o Fêmur, engessou os dois braços e a perna  ficou uma semana internado no hospital, mas quando voltou pra casa precisou de cuidados   especiais de uma enfermeira já que não tinha esposa pa cuida-lo, a principio o dinheiro do seguro  dele deu pra contratar uma enfermeira em tempo integral, mas não era barato, é claro que eu e meu marido sempre passávamos por lá pra acompanharmos o progresso dele e pra dar apoio moral, as vezes deixávamos nosso filho na casa da avó e dormiamos lá pra que ele se sentisse melhor passando-se um mês ele melhorou sensivelmente, recuperando-se aos poucos, já tinha retirado o gesso da perna o fêmur já havia consolidado, já não ficava mais deitado o dia inteiro até andava apoiando-se em moveis e paredes, mas os braços que foram os mais prejudicados e a clavícula  com aquele colete da clavícula e o outro braço imobilizado.

Eu sempre tive o maior respeito por ele porque ele sempre me tratou como uma filha na sua casa, pois passei a ser a mulher da família, já que ele não tinha esposa, apenas  o meu marido de filho, então tinha meus privilégios, confesso que meu sogro é um coroa muito bonito nos seus 52 anos, e se cuidava só comia coisas saudáveis,e muito assediado até hoje, pelas mulheres de todas a idades eu sempre tive muita amizade e respeito por ele, a enfermeira passou a ser como uma integrante da familia, mas estava ficando caro mante-la, nossos gastos com enfermeira e remédios, ficaram elevados,  e a sua recuperação completa ainda levaria um mês ou mais, as economias do meu sogro estavam no limite, para não zerar tudo meu marido sugeriu que dispensássemos a enfermeira e que eu continuasse a dar assistência pra ele considerando que ele já estava em plena recuperação, e já não estava tão dependente.

 No começo, meu marido me levava e me buscava todos os dias, e eu passava praticamente o dia todo cuidando dele, coisas simples, como alimentação, cuidados médicos, companhia, higiene pessoal limpeza da casa e até no banho ele precisava de ajuda quando foi a primeira vez pedi opinião ao meu marido falei que ficava constrangida, mas ele me tranquilizou, falou que seria como uma profissional que seria como se fosse meu próprio pai pois me tinha como filha, confesso que a primeira vez foi muito constrangedor, retirei seu roupão levei Seu Artur até o banheiro, apenas de cueca, estava tímida e não sabia o que fazer, ele percebendo como eu estava me falou: olha minha filha, se você não quiser ou se sentir envergonhada, pode deixar eu tento me virar. Aquelas palavras me encorajaram então me desinibi peguei a duchinha, comecei a banhar seu corpo com cuidado pra não molhar o gesso, até que abaixei sua cueca, quando vi o tamanho do pênis dele era enorme mesmo flácido  tentei não reparar no tamanho, fazia de tudo para não olhar, e Seu Artur as vezes comentava que se não fosse minha ajuda ele estaria em dificuldades,  talvez dissesse isso para me deixar mais a vontade, comecei a lavar as virilhas com a bucha, não tive como evitar chegou a bendita hora, teria de lavar seu pênis, então sem graça perguntei: Posso lavar? e dei um sorriso, daí ele disse que eu ficasse a vontade,pois ele não poderia,meio sem jeito peguei aquele mastro com a mão dirigi o jato de agua da duchinha, e passei o sabonete rapidamente,e enxaguei. Percebi que seu membro deu sinal de vida, então rapidamente peguei a toalha e o sequei, lhe vesti uma cueca rapidamente depois um short e seu pijama mas toda vez que ele precisava ir no banheiro, era eu que o levava e abaixava seu short, deixava ele lá, depois o limpava, como tinha um bidê no banheiro então isso não era tão chato…. essa era minha rotina 


Como sempre acontecia meu marido viajava quase toda semana coisa rápida  tipo um ou dois dias, nesses dias eu e meu filho dormiamos com minha mãe ou dormia  em casa, com meu marido fora eu deixava meu filho na minha mãe e as vezes dormia na casa do meu sogro, era mais facil  ficar cuidando dele tudo transcorria normal  como sempre, e nas horas do banho, quando  eu lavava seu pênis, ele acabava ficando excitado  quando eu segurava na mão pra lavar, talvez por eu já estar mais desinibida e fazia isso naturalmente eu sempre arregaçava-o para lavar a glande onde acumula uma especie de residuo que chamam de sebo ou seborreia, as vezes eu demorava um pouquinho a mais  lavando a cabeça, mas ele me pedia  desculpas sempre, pra er sincera eu já achava aquele pênis enorme bem  bonito, porque ele era grosso e enorme, eu já estava acostumada com a ereção quando eu o lavava, meu esposo não puxou o pai nesse quesito . era a rotina, depois do banho eu o vestia e levava até a sala  para assistir um pouco de televisão, apesar de eu já achar normal ele sempre pedia  desculpas eu dizia que não precisava se desculpar, era normal, eu entendia principalmente porque ele nem masturbar-se podia pra aliviar-se já que estava com dois braços no gesso,  então eu o tranquilizava  que não precisava se preocupar, que era normal um homem ficar excitado quando uma mulher o toca, mesmo eu sendo sua nora. 

Falei a ele que aquela noite eu dormiria ali, pois meu esposo estava em viagem como sempre  resolvendo assuntos da Empresa, então ele ficou feliz, pois teria companhia à noite. Dei sua janta, levei ao quarto e fui tomar banho, apesar de eu já estar cuidando dela a semanas até aquele dia nunca pensei nada erótico, mas naquele banho confesso que fiquei pensando no membro do meu sogro ereto, grande, grosso  por conta disso e por conta de meu marido já estar viajando a uma semana e eu estar sem sexo fiquei excitada e acabei me masturbando ali mesmo debaixo do chuveiro, e gemi bem baixinho para ele não ouvir. Terminei 

meu banho e com a noite estava bem quente vesti apenas um shorts doll e uma camiseta corpete, pela intimidade que já existia, antes de ir pra cama passei do jeito que eu estava vestida em seu quarto pra ver se queria mais alguma coisa, apesar de eu estar com roupa intima de dormir ele foi discreto e simpático, apenas deu um sorriso, ficamos conversando algum tempo  sobre muitas coisas, perguntei a ele se queria que eu ligasse para alguém, para que essa pessoa passasse a noite com ele, em vez de mim, insinuei que assim ele poderia se aliviar, então ele riu e disse que não, que sua nora era a melhor companhia que ele poderia ter, notei que por esse  comentário ele ficou excitado por baixo dos lençóis, pelo estado dele ele não teve como disfarçar, confesso que mesmo já tendo me masturbado no banho deu vontade eu mesmo oferecer-me pra alivia-lo mas era meu sogro e alem do que eu era casado minhas fantasias tinham que ficar só comigo.  em contrapartida, eu ainda estava com tesão, quando fui deitar ainda me masturbei mais uma vez e finalmetne dormi.

 No dia seguinte tudo normal, dentro da rotina, com exceção que eu por  falta de sexo estava  me excitando com facilidade, só de andar e minha bucetinha ficar roçando a calcinha, eu já me molhava, quando chegou a hora do banho, liguei o chuveirinho e fui lavando, peito,costas, bunda , pernas, pés até que chegava ao bendito e lindo pênis; nesse dia eu me ajoelhei e fui lavando-o lentamente no mesmo ritual de sempre, como sempre ficou ereto na hora,  enquanto eu lavava tambem fazia movimentos de masturbação, alisei vagarosamente  esfreguei a bucha no saco na virilha com aquele membro ereto a poucos centímetros do meu rosto, mas não parei, apenas dei uma risadinha e continuei, ele apenas comentou que não tinha como evitar, porque  minhas mãos eram muito delicadas alem do que eu era mulher e ele homem ali naquela situação, comentei então que ele deveria estar na seca e no atraso por causa do acidente, ele confirmou que sim e ainda acrescentou, nem aliviar a pressão com as próprias mãos eu posso  e deu uma risadinha meio sem graça ao mesmo tempo meio sacana, falei-lhe em tom de brincadeira, se eu não fosse sua nora com as mãos eu até poderia quebrar o galho, ele ficou ainda mais excitado ele falou e voce teria coragem… faria isso por mim??? Respondi afirmativamente ele quase que num olhas de suplica, fechou os olhos e me disse que seria muito bom pra ser verdade.

Pensei comigo, coitado do meu sogro e perguntei o Sr, guarda segredo?? Promete nunca contar ou mencionar nada a ninguém?? Principalmente pro seu filho, ele concordou, então comecei a masturbá-lo de verdade, tudo ficou num silencio profundo, eu fazia movimentos de vai e vem com as mãos; percebi em seu rosto uma satisfação  ele começou a gemer baixinho, estava em transe, confesso que naquele momento  minha vontade era ir alem mas eu não podia então fiz ele gozar gostoso no Box do banheiro, mesmo enquanto ele gozava eu não parei, a agua caia em nossos corpos e levava o semem dele pro ralo, quando finalmente não tinha mais nenhuma gota de semem, eu terminei de dar-lhe o banho, vesti-o e  levei-a até a sala pra assistir um pouco de tv.

Fiz nosso jantar e  durante o jantar e depois dele conversamos bastante sobre vários assuntos, inclusive e principalmente sobre sexo,  ele me elogiou disse que eu era uma mulher liberal, que outra jamais teria feito aquele favor, que eu tinha subido em seus conceitos, um de seus comentários disse que eu era jovem e que precisava mais de sexo que ele e que se eu fosse esposa dele, jamais me deixaria na mão para viagens longas pra fora, claro que isso era alusão a meu marido que viajava sempre,  por nossas conversa se tornar picante, pelo volume que se formou por baixo do pijama, percebi que ele ficou excitado de novo, ele tentou disfarçar, mas não conseguiu, então fingimos que ninguém percebeu nada, estava tarde então  falei a ele que iria dormir, como estava quente iria só de lingerie, novamente ele em tom de brincadeira disse que se pudesse se locomover que com certeza  iria me ver no quarto porque na noite anterior eu estava linda, eu falei seu bobo, é  a mesma lingerie que ele já tinha visto ele ainda disse que mesmo assim seria uma bela visão, então me despedi e fui dormir e nessa noite me masturbei de novo antes de pegar no sono masturbe-me imaginando ele me fodendo de todas as formas.  

No dia seguinte quando acordei, logo cedo meu marido ligou me comunicando que teria que ficar ainda  mais uma semana fora, meio contrariada me vesti e fui levar  o café pro sogro, fiz o almoço depois fui para casa ajeitar as coisas por lá pegar roupas limpas, pra voltar mais tarde quando eu cheguei ele tinha visitas, preparei um café pra todos até que foram embora, depois voltei a velha rotina, chegou a hora do banho e  durante o banho, ele se excitou novamente, mas dessa vez eu não o masturbei, apesar de ficar tentada a  acariciar aquele mastro de novo.

Após o banho rotineiro vesti-o deixei-o na sala assistindo Tv, fiz a  janta, e depois de jantarmos levei-o para o quarto, deitei-o e fui tomar meu banho, depois coloquei  outro conjuntinho de short doll preto, meio transparente antes de dormir  fui conversar com ele como sempre fazia, sentei  na cadeira em  frente com ele, me estiquei na cadeira com as pernas apoiada  em cima da borda da cama dele conversa vai conversa vem, ele entrou no assunto de sexo, disse que era muito ativo e que estava sofrendo com esse acidente, pois se não fosse eu no dia anterior, ele não sabe o que seria dele. Com certeza ele estava me cantando discretamente pra eu pelo menos repetir, entendi o recado nas entrelinhas resolvi que eu podia fazer mais uma vez,  e lhe falei o senhor quer de novo? Posso fazer desde que ninguém e principalmente meu esposo não saiba, os olhos dele brilharam e respondeu bem meloso, filha se você não for se sentir humilhada por satisfazer um coroa invalido, eu quero sim, na hora pensei nossa, que passo eu havia dado, mas agora era tarde eu já tinha me oferecido, discretamente me levantei, apaguei a luz, fui até a cama enfiei a mão embaixo do lençol. abaixei um pouco o calção  segurei seu pênis com uma mão, que já estava duro só de pensar, fiquei de joelhos na cama, de frente para ele,  o quarto estava  bem escuro e iniciei a masturbação, meu sogro gemia baixinho para ser discreto, aquela situação me deixou super excitada eu estava tão melecada que meu cheiro exalava pelo quarto,  aquele pinto a menos de 10 cm da minha boca, que estava cheia de água, enquanto meu sogro se contorcia. Sentia as veias de seu pau inchando cada vez mais, minha imaginação viajava longe, aquela situação mexia comigo eu não aguentei, meu tesão era grande e sem raciocinar abaixei-me  engoli seu pau até onde consegui, na minha boca e comecei a chupar, o que eu estava fazendo ia alem de suas expectativas,  só me lembro dele dizer:  não acredito que isso ta acontecendo, ai!! que boca macia!!, que mãos maravilhosas, eu praticamente só chupava a cabeça e descia até onde eu aguentava, passava a língua em toda extensão da cabeça e da glande subia apertando com a boca, até que ele não aguentou e inundou-me  com seu esperma, parei de chupar, mas sem tirar o membro dele de dentro da minha boca engoli parte e parte escorreu pela boca, fiquei me masturbando, até eu gozar também  o membro dele  começou a murchar, então vesti seu calção e me despedi baixinho no escuro mesmo, ele tentou falar algo tapei-lhe a boca e não deixei ele falar nada, sai em silencio

Naquela noite na cama mesmo ja tendo gozado me acabei toda  de tanto me masturbar, mas depois que gozei bateu um remorso  fui dormir e no dia seguinte levantei e fingi que nada aconteceu, ficamos os dois calados até que a tarde ele tocou no assunto, me agradecendo pela noite anterior, tentei mudar o rumo da conversa falando que preferia não comentar, mas ele foi insistente, disse que queria me agradecer de qualquer jeito, pois jamais alguém faria aquilo por ele, imagino que ele estava me cantando novamente,então eu disse que fiz porque gostava  dele e porque ele também me tratava muito bem, quase que como uma filha, falei ainda que  fiquei com pena do estado que ele estava e porque, sempre me tratou bem e porque não gostava de vê-lo naquele estado carente e sofrendo , mas implorei  segredo,  pois amava o seu filho.Seu Artur jurou segredo, mesmo porque eu imagino que ele não queria perder a Norinha dele.

No dia seguinte na hora do jantar ele descaradamente disse  que se pudesse faria qualquer coisa para repetir a noite anterior; aquelas palavras fizeram eu queimar de vergonha, ele percebeu e me acalmou e disse que estava tudo bem, que a intenção dele era me  elogiar e que enquanto vivesse não teria  como pagar a minha gentileza, e que estava super feliz pelo acontecido, e que era normal ele me desejar de novo afinal mesmo eu sendo nora eu era uma mulher muito atraente essas palavras deixaram-me excitada.

Como tinhamos terminado a janta e por  eu estar   excitada com aquelas palavras disse que iria dar banho nele mais cedo porque tinha uma surpresa, ele perguntou qual era a surpresa, eu lhe falei que suporesa não pode ser revelado, mas vai ser nosso segredo tá? Naquele momento eu já tinha decidido a chutar o pau da barraca literalmente, sem perder muito tempo levei-o ao banheiro, liguei o chuveirinho comeceia passar-lhe a esponja pelo corpo não demorou e ele se excitou. Olhei bem dentro dos seus olhos e falei se ele sabia guardar segredos, ele acenou que sim com a cabeça, tirei minha blusa e a bermuda, fiquei só de calcinha para dar  banho nele. ele ao ver arregalou os 
olhos só disse que não imaginava jamais me ver nua, e que eu tinha um corpo maravilhoso, daí eu me insinuei e falei é o corpo de  uma garota levada, lavei suas costas, mas com meus seios esfregando nele,  seu membro duro tocando na minha buceta de vez em quando, Seu Artur  começou a gemer alto eu então o provoquei e falei, o Sr. não falou que queria repetir? Então hoje vai ter mais que ontem,  fui mordendo seu pescoço, depois desci até seu pênis, dessa vez sem cerimônia  comecei a chupa-lo  vorazmente,sentindo cada cm daquela vara latejando na minha boca e por mais experiente que ele ele fosse, não aguentou de tão excitado que estava  gozou em menos de três minutos, lambuzando rosto com aquele semem  quente, a agua caia do chuveiro terminei de me lavar  me levantei peguei a toalha e o sequei, levei-o para cama e o deitei, eu não tinha gozado ainda e continuava excitada, perguntei gostou da surpresa, ele.. adorei…. mas ainda não acabou  meu  tesão falou mais alto,tirei minha calcinha e fiquei nua e sem pensar sentei em seu colo, estava com minha xaninha depiladinha só coim um bigodinho e molhadinha, fiquei me roçando no seu pau, que novamente deu  sinal de vida e ficou duro de novo, não pensei duas vezes
subi na cama e em seu corpo, ajeitei-o com a mão para encaixar melhor e deixei o peso do meu corpo fazer o resto, fui sumindo com se pênis lentamente dentro de mim, a sensação era gostosa, não falávamos nada, nem uma palavra, seu pau abria caminho dentro de mim, até que consegui fazer minhas nádegas tocarem em suas coxas, Seu Artur  estava literalmente enterrado dentro de mim; fiquei imóvel um tempo, depois me inclinei e ataquei sua boca,beijando-o de forma ardente, o qual se mostrou muito bom apesar da idade, então esfreguei meus seios na sua boca e ele os chupava divinamente, daí comecei a cavalgar lentamente sobre aquela maravilha de pinto, ele só reclamava de não poder me apertar, pois seus braços estavam imobilizados, eu subia até a cabeça ficar na entradinha, depois descia até a base, minha xoxotinha estava preenchida por completo e a cada movimento eu me lubrificava mais e mais, tão fácil que seu membro deslizava para dentro de mim então aumentei o ritmo, apesar de sentir um pouco de dor quando atingia o fundo,mas não demorou e eu tive um orgasmo no qual me entreguei por completo, me esfregando em seu corpo igual a uma puta e pedindo para ele me rasgar, eu estava fora de mim, então desfaleci sobre seu peito, beijando seu pescoço como se fosse meu esposo. Lembro-me de suas palavras, dizendo que seu filho tinha a melhor e mais dedicada amante do mundo, então sorri e agradeci. 


Confesso que apesar do orgasmo, eu ainda estava extasiada, com vontade. de dar mais, então fui mais alem das expectativas  dele, com a mão tirei seu pau da  minha bucetinha e ajeitando na entrada do meu anus, eu queria sentir ele entrando e me comendo  de verdade, fui empurrando aos poucos  minhas nádegas contra 

seu membro, rígido igual uma pedra, foi entrando e me laceando lentamente, até chegar na metade, parei um pouco respirei mas estava disposta a tentar tudo, ele  dizia que tudo aquilo parecia um sonho, eu estava suando demais, meu corpo deslizava sobre o dele, meu cuzinho queimava de dor e minha bucetinha ficava roçando e me excitando mais ainda, então comei um vai e vem lento, pois não era fácil administrar aquele membro entrando no meu anus, daí voltei  a cavalgá-lo um pouco mais rápido, até que percebi que seu membro sumia por inteiro dentro do meu cuzinho, aos poucos aumentei o ritmo e comecei a rebolar com mais força, Seu Artur começou a gemer, preste a gozar, então me dediquei aquela foda e comecei a falar um pouco de palavrões, pedindo para ele rasgar meu cu, me foder forte e gozamos juntos,os dois  praticamente urrando naquela cama, sentia seu pênis pulsar igual a uma bexiga prestes a estourar, enchendo meu cuzinho com toda sua porra; fiquei imóvel em cima dele,confesso que com uma dor na consciência terrível depois de gozar.

esperei seu membro amolecer naturalmente, e sai de cima dele, com as pernas bambas, quase caí; fui novamente ao chuveiro tomar um banho, molhei bem a toalha pra limpar seu pinto, enquanto eu fazia isso ele não parava de me elogiar, me constrangendo mais ainda, pois eu havia sido uma puta na verdade, quando praticamente me  ofereci para ele, depois do acontecido conversei com ele e pedi a ele que jamais contasse a alguém, pois eu ficaria falada e isso acabaria com meu casamento, mas ele era maduro o suficiente e me acalmou. A noite após dar a janta para ele, tomei outro banho, pois o calor era terrível, coloquei uma calcinha fio dental preta e uma camisola justinha no corpo e transparente. Seu Artur elogiou minhas vestes e meu corpo, disse que eu ficasse a vontade na sua casa,pois entre nós não havia mais segredos. 

e assim foi por várias semanas.Hoje ele está ótimo, voltou a suas atividades normais, e vem aqui em casa de vezem quando quase sempre em hora que seu filho não esta, e acabamos transando,meu esposo nem desconfia, mas não dá para resistir aquele lindo pinto.



Categorias: rede swing

10 comentários

Clodoaldomatos Ribeiro · junho 30, 2016 às 8:18 pm

k delicia.

Mauro Jorge · julho 3, 2016 às 5:01 am

Sou do RJ Mulato a lto dotado grande e Grosso Procuro uma Mulher que goste de sexo e Pau Grande e Grosso. mande fotos somente Mulheres
para [email protected]

    [email protected] · agosto 1, 2016 às 6:14 pm

    Queria que fosse minha esposinha loirinha rabuda.
    [email protected]

      Luciano ferraz · setembro 17, 2016 às 11:10 am

      Gostaria muito de conhecer e dar muito prazer para a sua raposinha amigo , eu tenho tudo que ela gosta . O meu zap e 27 99968 4204

      antonio marcos rodrigues · janeiro 19, 2017 às 11:55 am

      muito legal essa historia fiquei de pau duro direto

Paulo · setembro 12, 2016 às 4:23 pm

Olá boa tarde,uma linda história mesmo gostei muito. Quando podemos se conhecer gata.

claudinho · setembro 17, 2016 às 11:22 pm

ooooo acabei gozando lendo esse relato dessa gostosa 085986201480

mauricio · dezembro 14, 2016 às 11:28 am

Adorei o conto queria ser o seu sogro pra poder lhe comer gostoso

Pica pra esposa · janeiro 19, 2017 às 12:36 pm

É fake mas excitante

Irineu · março 27, 2017 às 11:06 am

Nosssa que estória gostosa confesso que gosei duas vezes..afilha da minha irna tem so 18 sou coroa também ela adora rude comigo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *